Entre a porta e o telefone

- Olha amiga, estou aqui enfiada em casa sem pachorra para nada nem ninguém. Só me surgem labregos e já dou patadas automáticas em cada homem que me aborda!

- São todos uns pulhas! Depois da cueca mudam logo do avesso. Não interessa se a têm no primeiro dia, passados uns meses ou só depois do casamento. Depois da estreia passam logo a pensar na reciclagem.

- Podes crer, já não há príncipes encantados...

DING-DONG .... DING-DONG

- Olha tenho de ir. Tocaram à porta, já falamos.

- Ok, até já.

Abre a porta de rompante e depara-se com um homem que lhe diz sorrindo:

- Olá, cheguei!

- Chegaste!? Mas quem és tu!? (pensando "Este deve ser parvo...")

- Sou eu, o teu noivo! Sei que nunca nos vimos mas é comigo que vais casar! Decidi conhecer-te antes do dia marcado.

- Uoooooooh! (misto de espanto e repulsa) Calma lá! Nunca nos vimos, nem nunca nos vamos ver mais,  garanto-te. Mas que merda é esta!?

- Mas sou eu o teu noivo prometido! Peguei na morada da carta dos teus pais e decidi fazer-te uma surpresa. Afinal ninguém gosta de se casar com quem nunca viu na vida, não é?

- Pais!? Falar de pais a uma orfã é precisamente o tipo de coisas que te podem fazer arrepender... mostra lá a porcaria da carta.

A carta troca de mãos que se tocam sem retração do gesto.

- Pois, até acertaste na cidade, estás é no país errado! Isto são os USA, a Lisboa que tu querias fica em Portugal!

O homem fecha o sorriso e fica algo apreensivo durante uns momentos. Ela passa a sorrir tímida e debochadamente. De repente o homem recupera o sorriso inicial. Ela volta a uma cara franzida.

- Pois se assim aconteceu que assim seja. Vou casar contigo!

- Estás parvo!? Nem me conheces de lado nenhum e estás no Continente errado! Achas que faz algum sentido isto que estás para aí a dizer?

- Já te conheço há uns minutos, o que é bem mais do que aquilo que conheço a minha noiva arranjada, e já sinto que gosto de ti. Tu também deves gostar de mim senão já me tinhas fechado a porta na cara. O Cristóvão Colombo também pensava ter chegado à Índia quando chegou à América. Ele não voltou para a Índia pois não? Sinto-me bem aqui ao pé de ti e se partir sei que vou ter saudades, ser triste e miserável. Por isso decido ficar e arriscar ser feliz contigo. Que me dizes?

- Que te digo!? Que te digo!? Digo-te que te ponhas a milhas e me deixes em paz!!!

SLAM  e a porta bate violentamente escondendo um homem destroçado. Encostada à porta reprocessa a situação e sorri. Com o coração a mil mira o olho-de-boi e não vê ninguém. Perde o sorriso e 920 batidas por segundo. Encaminha-se para o telefone, digita o número da amiga com quem falava antes do incidente para reatar a conversa cortada.

- Então quem era?

- Era um louco a dizer que queria casar comigo, acreditas nisto?

- A sério? Uau! Era giro? Como era?

- Bem, na verdade não era nada de se deitar fora, bem falante, respeitador...

- Hum... Hum... estou a ver ... e tu que fizeste?

Com um semblante carregado e um aperto no estômago responde-lhe:

- Olha, acho que fiz merda...


2 comentários:

Margarida disse...

HAHAHAHAHAHA...esse teu final!...

Numa época em que se pensa com o lado racional e não com o lado emocional quem se arriscará a casar com alguém em que acabou de pôr a vista em cima?

Interessante...

O Mundo de Farnia disse...

Quem está na fossa e não arrisca...

Enviar um comentário

Olá... estou-te a ver! Podes falar mal ou falar bem mas com juizinho sff! Beijinho e/ou Abraço

Escrito de Fresco porquê?

Há quem me tome por incontinente verbal mas a verdade é que a minha língua não tem débito suficiente para o turbilhão de pensamentos que me assolam a mente a todo o momento. Alguns engraçados, outros desgraçados, mas vários merecedores desta lapidação digital para a posteridade e, quem sabe, para a eternidade. Os escritos aqui presentes surgiram do nada e significam aquilo que quiseres. Não os escrevi para mim mas sim para ti. Enjoy
Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores