Lavagem de Roupa Suja

Roupas tesas pendem de um estendal com lotação esgotada. O estendal tem duas cordas, ambas repletas e vergadas pelo peso. Uma tem apenas roupas de homem. A outra apenas roupas de mulher, à excepção de um boxer nitidamente masculino.

Ele chega primeiro, ela pouco depois, cada um com o seu cesto.

- "Chega-te para lá!" avisa-o.

- "Não te preocupes que ainda há espaço para os dois." atiça-a.

- "Ainda!? Que é que queres dizer com isso? Que estou a engordar!? Estúpido."

Ele é maduro o suficiente para saber que um silêncio e um encolher de ombros são a única resposta tolerada depois de uma provocação tão refinada.

Posicionam-se cada um na sua corda como se estivessem alinhados numa pole position de duas pistas e dá-se a partida. Ele pega cada peça como se fosse um trapo que joga aleatoriamente no cesto mas tem o cuidado de colocar a mola de volta na corda de forma a permitir o seu deslizamento sem fricção. Ela faz uma dobra delicada por cada peça de roupa que pousa no cesto e deixa a mola na corda ao acaso. E assim seguem até meio do percurso.

- "Olha para isso. Nem sabes estender uma roupa."

- "Não sei? Porquê? Está cá toda. Não voou nenhuma."

- "És mesmo ignorante. Não vês que tens que colocar a mola nas pregas para não vincares a roupa? Assim estragas-a toda."

- "Mas o que é que isso interessa? Não vai passar a ferro a seguir? Que mania de ter de ser tudo ao teu jeito. Deixa estar que da minha roupa cuido e até agora nunca se queixou. Além de que para quem se preocupa tanto com o sítio onde se põem as molas basta olhar para o que estás a deixar para trás..."

- "A deixar para trás? As molas na corda? Qual é o problema?"

- "O problema é que se quiseres puxar todas para um lado as tuas vão encravar ou saltar da corda em vez de deslizarem de uma forma prática assim" vvvvvvvvvt todas as molas sem roupa vão de uma assentada até ao início da corda, vvvvvvvvvvvvt as molas voltam de uma assentada até ao meio onde se encontra a primeira peça estendida.

- "Tu és doente da cabeça... isso não serve para nada!"

- "Vê-se mesmo que não és tu que estendes a tua roupa..."

Ela tem consciência que é ele que lhe estende a roupa sem que ela o peça e percebe que este não é um caminho a explorar.

Ele acaba por ganhar avanço e termina a sua corda quando ainda existem 3 ou 4 peças na corda dela. Com ar vitorioso coloca as mãos sobre o seu boxer, a última peça no estendal que é sua pertença.

- "O que é que esse boxer está a fazer aqui!?"

- "Já não tinha espaço nesta corda e ainda havia aqui um espacinho."

- "Queres isto tudo só para ti é? O estendal também é meu! 50/50! Não tens nada de invadir o meu espaço."

- "Mas é só um pequeno boxer, qual é o drama? O estendal dá para os dois."

- "E se eu quisesse pendurar mais uma peça?"

- "Apanhavas uma já seca. Ou tiravas o boxer se te incomodava assim tanto. Que maluquice de discussão..."

- "Maluquice não. Não tenho de estar limitada pela tua invasão de espaço! Nem de mexer nas tuas roupas fedorentas! Se fazes favor respeitas o meu espaço para não haver problemas."

- "Ok, ok, esta corda é tua, ponto final. Não te compreendo..."

- "Pois, quem não compreende sou eu. Somos muito diferentes. A vontade que me dá é fazer as malas e ir estender e apanhar a roupa para outro estendal."

- "Realmente parece que é preciso tratarmos da roupa juntos para descobrirmos mais umas facetas escondidas... só tenho pena que não nos tenhamos encontrado aqui no estendal mais cedo..."

O boxer salta para o cesto mas desta vez as molas ficam desarrumadas na corda incapazes de deslizar. Ele vai para dentro de casa dobrar a roupa apanhada. Ela regozija-se pela desarrumação das molas e pega apressadamente as 2 ou 3 peças que lhe faltavam jogando-as para o cesto como se fossem uns trapos. Ainda se vira a tempo de o ver a entrar em casa e segue-o para arrumar a sua roupa.

Não muito depois a máquina de lavar roupa batalha com um conjunto de lençóis sujos que tinham sido acabados de estrear.


2 comentários:

Flor Ferrão disse...

Não deviam estar juntos ... que pesadelo. lol

O Mundo de Farnia disse...

O amor é assim, estranho e estúpido! :D

Enviar um comentário

Olá... estou-te a ver! Podes falar mal ou falar bem mas com juizinho sff! Beijinho e/ou Abraço

Escrito de Fresco porquê?

Há quem me tome por incontinente verbal mas a verdade é que a minha língua não tem débito suficiente para o turbilhão de pensamentos que me assolam a mente a todo o momento. Alguns engraçados, outros desgraçados, mas vários merecedores desta lapidação digital para a posteridade e, quem sabe, para a eternidade. Os escritos aqui presentes surgiram do nada e significam aquilo que quiseres. Não os escrevi para mim mas sim para ti. Enjoy
Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores