Estar sentado sobre uma falésia é sinónimo de uma amnésia momentânea. Há algo nesta fronteira elevada entre o terrestre e o marítimo que nos limpa o espírito e nos faz voltar a ver com o olhar e a ouvir os ruídos.

Mas é preciso estar na linha exacta que permite esse esquecimento. Dois passos atrás e de volta à segurança da terra firmada e da vida tomada, dois passos em frente e depois de uns segundos de medo Olá Sr. Rochedo!

Sempre tive este fascínio de andar em beiradas de precipícios. "Sai já daí Nuno Miguel!" e com um bocadinho de sorte esquivava-me à palmada. Mas à socapa, sempre que tinha oportunidade, lá fazia de cabra montanhesa (existirá o termo cabrão montanhês?) just for the thrill of it.

Voar seria mais fácil como faz esta gaivota que me arrasta o olhar para este paradoxo: uma casa sobre a falésia!


Viver sobre a falésia não será um constante esquecer? E tudo esquecer é viver? Dou a mão à palmatória que aquela caverna pode ser um bom escape para uma qualquer alegoria, mas é quase certo que ali viver nos levaria a ser esquecidos. Ou pior, ali viver poderia levar-nos a esquecer que ali existe uma falésia.

0 comentários:

Enviar um comentário

Olá... estou-te a ver! Podes falar mal ou falar bem mas com juizinho sff! Beijinho e/ou Abraço

Escrito de Fresco porquê?

Há quem me tome por incontinente verbal mas a verdade é que a minha língua não tem débito suficiente para o turbilhão de pensamentos que me assolam a mente a todo o momento. Alguns engraçados, outros desgraçados, mas vários merecedores desta lapidação digital para a posteridade e, quem sabe, para a eternidade. Os escritos aqui presentes surgiram do nada e significam aquilo que quiseres. Não os escrevi para mim mas sim para ti. Enjoy
Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores